domingo, 24 de janeiro de 2010

Surto


O impulso traz o imprevisível
O pensamento deixa de surgir
Se antes havia compreensão de atitudes...

O que sobra
São instintos sufocados
Ante uma crise de raiva
Em que as pessoas cometem
Por coisas ridículas e ilusórias
Que insistem em prevalecer

Tira o embaçamento da lente que nada enxerga!
A vida não é flor que dura a vida inteira
Se estás no abismo, na beira
Pula que nada te resta
A vida sempre foi
E será circunstancial
Ou supera ou se sucumbe
No materialismo supérfluo
Nos tornamos ervas daninhas
Pelo ato de não enxergar o sol

A mim me basta
As atitudes ridículas
Ante o cenário da vida
Tudo enfim é circunstância pela qual vivemos,
Tudo.

Ederson Rocha

Um comentário:

  1. Quando perdemos o senso chegamos perto do nosso verdadeiro eu.

    Surtar é recordar.

    ResponderExcluir